domingo, 7 de novembro de 2010

da promiscuidade imposta.

via fffound

Eu de facto sou uma pessoa de sorte. Sempre mas sempre que vou a um concerto levo com os mamarrachos mais altos e mais cabeçudos que estão na sala. Não sei o que é que andam a dar aos miúdos, se é das hormonas que injectam nos frangos, eles estão cada vez maiores. Num concerto, o ajuntamento de três cabeçudos pantagruelescos resulta catastrófico, sobretudo quando se posicionam à frente de uma miúda de estatura média, tipo eu. Assistir a um concerto implica de facto ver o que acontece em cima do palco. Ficar só pela audição significa que a experiência fica pela metade. E depois há outra coisa que não compreendo: pessoas que ficam estáticas num concerto. Serão ciborgs? mas afinal o que é que estão ali a fazer? E porque é que se encostam às outras? Querem sentir calor humano? Então guardem- se para os santos populares. Ou para a época balnear na Caparica. Agora não cheguem os casacos puídos de cabedal à minha pele banhada e perfumada. Dass.

Se quem me vende o bilhete não consegue garantir que vou ter as condições mínimas para viver a experiência a 100% com que moral é que me obriga a pagar determinado valo?

Por isto tudo proponho que se criem regras para quem assiste a concertos, uma espécie de etiqueta para frequentadores de espetáculos de música. pessoas mais baixas à frente e mais altas atrás. pessoas com cabeças que ultrapassem x de diâmetro nas laterais. pessoas que não dancem e impeçam os outros de se mexerem, multa.

É injusto? Chuif chuif. Injusto é ter de levar com monos.

10 comentários:

http://www.joanazevedo.com/blog disse...

lollol eu concordo tanto com tudo isso... irrita-me tudo, os que se enquadram exactamente à nossa frente e fazem de conta que não se passa nada, ainda pior os que estão parados "porque é fixe" para dar o ar de "eu só paguei pa estar aqui porque não havia mais nada para fazer" e que ainda olham de lado para os que se estão a mexer... agora isso da ordem por estatura era péssimo porque geralmente sou mais pequena do que as minhas companhias... ou passava a ir sempre de saltos altos para os concertos ou ficava sozinha x)**

senhorita valdez disse...

pois não tinha pensado nessa parte. ou passas a dar-te só com pessoas mais baixas, ou vais sempre de saltos ou então cria-se uma regra que dita que na hierarquia de lugares temos direito a 1 acompanhante.

Cat disse...

ahahahah, é bem verdade. O Mak pensa como tu ; http://obomomaueovilao.blogspot.com/

beijos

Prezado disse...

Eu sou dos cabeçudos da primeira fila.

xuxidiva disse...

Cara senhorita V.: Sarava e boas! essa etiqueta soa-me a tentativas de tirar retratos de familia...eu sou das que se guarda (sempre que posso) pros santos populares da Bica e pra Caparica mes de agosto...
Concordo com as hormonas na questao do gigantismo adolescentopubertario, mas basicamente eu preocupar-me-ia mais com o eau de cebolinha que devem emanar e que perpassara ate o melhor dos cabedais...
Monos nao sao macacos? foi o que me disse uma colega, mas tambem por outro nado nao fiquei certa de que nao fosse uma ofensa a minha pessoa...
Sugestoes: Geralmente uma boa companhia mitiga muitos dos maus concertos a que vamos... bons venues com direito a camarote deveriam ser instituidos e binoculos tambem podem ser uma opcao...
Cumprimentos

Mak, o Mau disse...

A minha concordância na matéria, se bem que existente, fica condicionada ao facto de ser um potencial cabeçudo daqueles a que te referes.

Mas, em abono da minha não tão baixa pessoa, diga-se que tento oscilar o meu 1,85m de modo a parecer vagamente que danço e assim, entre movimentos, ir concedendo à pequenada atrás de mim pequenos vislumbres do palco...

Eu sou assim, um alt(o)ruísta...

Francisco Martins disse...

Pois... eu devo ser desses k não se mexem muito. Tenho dois pés esquerdos, sempre tive... humpf! contudo até nem me importava que esas regras que sugeriste fosse implementadas. ao menos nao me sentiria um anromal se as pesosas no espaço à minha volta também tivessem dois pés esquerdos como eu. Também me irrita um pouco quando os cabeçudos não me deixam ver o palco. humpf. É nos concertos e no cinema... Deus!

Mafalda disse...

Eu apoio-te! Eu e o meu 1,61m de altura, apoiamos-te e muito!!!

Guidz disse...

eu, medindo 1.60, passo muito mal em concertos. ou fico na primeiríssima fila, ou então não consigo ver o palco, só pequenos vislumbramentos, quando as pessoas oscilam as cabeças. coitado de quem é pequeno... o meu namorado até diz que eu devia pagar meio bilhete (tipo as crianças). realmente eu acho que eles deviam colocar as pessoas mediante as alturas, apesar de ter o mesmo problema que a joana azevedo, iria ter que ficar separada dos meus acompanhantes que geralmente são mais altos do que eu. e também não gosto daqueles que dançam de uma maneira mais (demasiado) estusiasmada, eu sou literalmente abalroada por essas pessoas, e claro está saio com os pés (no mínimo) todos pisados.

crème fraîche disse...

eu nem me acho muito pequena, mas também por vezes tenho azar com as cabeçorras gigantones à mnha frente.

estou a pensar seriamente em ir de saltos para Parkway Drive. e depois vou para o moche na mesma.